Média °C
a

MENU
  

NOTÍCIAS

16/11/2020

Feira de Oportunidades on-line conta com 31.314 participações e arrecada R$ 49.951,99 que serão revertidos em cestas básicas para instituições das áreas de atuação das cooperativas

Nos dias 6, 7 e 8 de novembro, quatro cooperativas do Sistema Ailos – Acredicoop, Credifoz, Viacredi e Viacredi Alto Vale, encararam um novo desafio e realizaram, pela primeira vez, uma Feira de Oportunidades totalmente on-line. O evento que já é realizado há 11 anos era aguardado pelos empreendedores que viam, nesta iniciativa, uma oportunidade de expor seus trabalhos e gerar negócios. Porém, com a pandemia, neste ano os organizadores precisaram encontrar uma forma de ajudar a economia local e respeitar as normas de segurança e saúde.



Durante os três dias de evento, foram 15 atrações, entre palestras e apresentações culturais para todas as idades, dentre elas Dazaranha, Nana Toledo, Teatro Biriba, Piangers e outros. A feira contabilizou 31.314 participações ao vivo na programação que foi disponibilizada no site ailos.coop.br/feiradigital e também no canal do Youtube do Sistema Ailos.



Uma grande ação social fez parte da programação, onde os visitantes tiveram a oportunidade de realizar doações em dinheiro. Além disso, para cada acesso à feira e também ao Ailos Aproxima, as cooperativas reverteram R$ 1,00 para a ação. O valor total chegou a R$ 49.951,99 que será destinado a instituições localizadas nas áreas de atuação das quatro cooperativas. “Este ano foi um grande desafio para nós, porque precisamos pensar em como levar todas as atrações para o meio on-line e engajar cooperados e comunidade a prestigiar o evento em ambiente 100% digital. Estamos felizes com o resultado e cooperados e comunidade puderam aproveitar o melhor da plataforma nos três dias”, comenta Silvano Lazarini Júnior, diretor executivo da Credifoz.



Estímulo ao desenvolvimento regional



A Feira de Oportunidades Digital realizou também seu propósito central de fomentar o desenvolvimento do comércio local, através da plataforma Ailos Aproxima (ailosaproxima.coop.br), criada em abril para divulgar produtos e serviços dos cooperados empreendedores. Ao longo do evento foram registrados 16.280 acessos à plataforma, gerando mais visibilidade e potencializando os negócios regionais.




Fonte: Assessoria de Imprensa Ailos



  • A 1ª Turma Ordinária do CARF, em caso de relatoria do Conselheiro Laércio Cruz Uliana Junior, deu parcial provimento ao recurso Voluntário de uma Cooperativa de saúde para excluir da base de cálculo das contribuições os valores referentes aos repasses a cooperados e os dispêndios com a rede própria.

    A discussão travada no CARF decorre da autuação pela Receita Federal de Cooperativa de saúde em virtude da apuração de falta de recolhimento da Contribuição para o PIS/Pasep, no período de janeiro a dezembro de 2011, e da falta de recolhimento da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social – Cofins, no mesmo período.

    Em sua defesa, a Cooperativa apresentou impugnação, sustentando, dentre outros pontos, que o auto de infração foi “constituído sob a premissa de que as cooperativas de saúde praticam atos não cooperativos quando da celebração de contratos de plano de saúde, o que iria de encontro à Lei 5.764, de 1971, em especial os seus artigos 3º, 4º, 5º, 7º e 79º, que estabelecem que as cooperativas podem adotar qualquer gênero de serviço”, requerendo, ao final, “o cancelamento do auto de infração ou, alternativamente, a exclusão da base de cálculo dos valores referentes a receitas financeiras e patrimoniais, dos valores repassados a cooperados, dos destinados à provisão técnica e das receitas de intercambio, lançadas em duplicidade, bem assim o afastamento da multa de ofício e dos juros sobre ela”.

    Na opinião do Dr. Rodrigo Forcenette, advogado especialista em Direito Cooperativo, da Brasil Salomão e Matthes Advocacia, “trata-se de um importante precedente, na medida em que reconhece que os repasses efetivados por Cooperativas de Trabalho Médico/Operadoras de Planos de Saúde aos seus cooperados, assim como os custos com rede própria, decorrentes dos atendimentos médico-hospitalares efetivados aos seus pacientes (contratantes/usuários), devem ser deduzidos da base de cálculo do PIS/COFINS, com fundamento no art. 3, §9º e 9º-A da Lei 9.718/98.”

    Clique aqui para acessar a íntegra da decisão do CARF.