Média °C
a

MENU
  

NOTÍCIAS

16/11/2020

Sicoob MaxiCrédito completa 36 anos de muito cooperativismo e apoio à comunidade

Há 36 anos, fruto da união de pessoas que carregavam consigo o espírito cooperativista, nascia o Sicoob MaxiCrédito, uma instituição que, desde a sua origem, sempre esteve comprometida com seus associados e com a comunidade onde está inserida. Hoje, após muito trabalho e cooperação, é considerada uma das maiores cooperativas de crédito do país.



Fundada por pessoas e para pessoas, o Sicoob MaxiCrédito, através do atual presidente, Ivair Chiella, acredita que a seriedade e a manutenção da sua essência foram os pontos chaves para a cooperativa chegar onde chegou.  



“Sentimos muito orgulho pela história que construímos até aqui, uma trajetória que contou com a contribuição de muitas pessoas, de associados, colaboradores e toda a comunidade envolvida”, explica Chiella. “Temos orgulho de olhar para trás e perceber que o trabalho dos pioneiros, de possibilitar melhores condições de acesso aos produtos e serviços financeiros, é a nossa missão até hoje. Está na nossa essência, no nosso dia a dia, no trabalho feito sempre com ética e profissionalismo”, destaca o presidente.  



Para o vice-presidente, Ari José Roman, é importante manter as raízes, mas também olhar par o futuro. “Levamos em nossa essência os valores e os princípios do cooperativismo, aliados à ética e ao profissionalismo, o que nos permitiu trilhar nosso caminho até aqui. E ao olharmos para o futuro, temos a certeza de que muitas outras pessoas irão se unir ao cooperativismo praticado pela MaxiCrédito, buscando uma relação mais justa e oportunidades de crescimento”, afirma Roman.  



 Origem  



No dia 16 de novembro de 1984, em Chapecó, líderes cooperativistas e associados da Cooperalfa, se uniram em assembleia para debater a dificuldade de acesso ao crédito para o agronegócio da região. Foi então que criaram a Cooperativa de Crédito Rural de Chapecó Ltda – Credialfa – que depois veio a ser Sicoob MaxiCrédito. As atividades iniciaram no 15 de agosto de 1985, após aprovação de funcionamento pelo Banco Central.   Aos poucos a cooperativa foi dando novos passos e em 1992 inaugurou a primeira agência fora de Chapecó, em União do Oeste – SC. Outro capítulo importante foi em 2005 quando passou de rural para livre admissão de associados, o que possibilitou a associação tanto de pessoas físicas, quanto pessoas jurídicas de diversos outros ramos.      



Expansão  



O Sicoob MaxiCrédito chega a quase quatro décadas de atuação com uma base sólida e um nome consolidado no mercado financeiro. Em 2012 expandiu sua área de atuação para a Grande Florianópolis, em 2016 para a região do Vale do Itajaí e há menos de um mês, realizou sua terceira incorporação, ampliando sua atuação também em solo gaúcho. Atualmente atende mais de 190 mil associados, 85 agências, tem quase R$ 4 bilhões em ativos e está em plena ascensão.  



“Comemoramos 36 anos num momento muito bom, onde acabamos de chegar no Rio Grande do Sul, abrangendo 29 municípios. Mas isso é só o início. Temos um projeto de expansão que vai até 2023.  Até lá queremos abrir 30 novas agências em 24 municípios. Isso só é possível devido a credibilidade que temos perante a sociedade”, comenta Chiella.




Fonte: Assessoria de Imprensa Sicoob MaxiCrédito



  • A 1ª Turma Ordinária do CARF, em caso de relatoria do Conselheiro Laércio Cruz Uliana Junior, deu parcial provimento ao recurso Voluntário de uma Cooperativa de saúde para excluir da base de cálculo das contribuições os valores referentes aos repasses a cooperados e os dispêndios com a rede própria.

    A discussão travada no CARF decorre da autuação pela Receita Federal de Cooperativa de saúde em virtude da apuração de falta de recolhimento da Contribuição para o PIS/Pasep, no período de janeiro a dezembro de 2011, e da falta de recolhimento da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social – Cofins, no mesmo período.

    Em sua defesa, a Cooperativa apresentou impugnação, sustentando, dentre outros pontos, que o auto de infração foi “constituído sob a premissa de que as cooperativas de saúde praticam atos não cooperativos quando da celebração de contratos de plano de saúde, o que iria de encontro à Lei 5.764, de 1971, em especial os seus artigos 3º, 4º, 5º, 7º e 79º, que estabelecem que as cooperativas podem adotar qualquer gênero de serviço”, requerendo, ao final, “o cancelamento do auto de infração ou, alternativamente, a exclusão da base de cálculo dos valores referentes a receitas financeiras e patrimoniais, dos valores repassados a cooperados, dos destinados à provisão técnica e das receitas de intercambio, lançadas em duplicidade, bem assim o afastamento da multa de ofício e dos juros sobre ela”.

    Na opinião do Dr. Rodrigo Forcenette, advogado especialista em Direito Cooperativo, da Brasil Salomão e Matthes Advocacia, “trata-se de um importante precedente, na medida em que reconhece que os repasses efetivados por Cooperativas de Trabalho Médico/Operadoras de Planos de Saúde aos seus cooperados, assim como os custos com rede própria, decorrentes dos atendimentos médico-hospitalares efetivados aos seus pacientes (contratantes/usuários), devem ser deduzidos da base de cálculo do PIS/COFINS, com fundamento no art. 3, §9º e 9º-A da Lei 9.718/98.”

    Clique aqui para acessar a íntegra da decisão do CARF.