Média °C
a

MENU
  

NOTÍCIAS

16/09/2020

Bet será Cidadão Honorário de Sidrolândia

Uma das principais figuras do cooperativismo de Santa Catarina e do Brasil, Romeo Bet, presidente da Cooperalfa, será homenageado no município de Sidrolândia, Mato Grosso do Sul, dia 17 de setembro de 2020, com o título de Cidadania Honorária. O líder divide a honraria com sua diretoria em decorrência da forte atuação da cooperativa no município, considerado o 2º maior produtor de grãos daquele Estado.

Valdecir Carnevalli, vereador proponente da outorga, aprovada por unanimidade durante sessão plenária no dia 25 de outubro de 2019, comentou que o reconhecimento se justifica pelas ações desenvolvidas junto ao setor produtivo do município, no fortalecimento do cooperativismo.  “Seu Romeo Bet tem nosso respeito, carinho e atenção por sempre estar um passo à frente. Desde a chegada da Cooperalfa, economicamente, Sidrolândia tem sido destaque pela força do agronegócio. A suinocultura, nova matriz econômica por meio da cooperativa, vai alavancar ainda mais o crescimento de nossa economia, gerando novas oportunidades”, comentou Carnevalli.

Na época em que a Câmara aprovou a honraria, Romeo Bet ficou impossibilitado de receber o título em decorrência de problemas de saúde (fratura do fêmur). Já no início de 2020, por conta da acelerada agenda e, em seguida, a pandemia do Coronavírus, ficou postergado o ato solene para esta quinta-feira (17), em evento restrito na sede da Cooperalfa em Sidrolândia, respeitando as regras de biossegurança.

Marcelo de Araújo Ascoli, prefeito do município de 60 mil habitantes, enalteceu as ações da cooperativa e parabenizou Romeo Bet pela homenagem. “É justo e muito importante reconhecer por meio deste título, a relevância que o cooperativismo tem em Sidrolândia. Seu Romeu e diretoria estão de parabéns pela honrosa homenagem”, destacou.

(Jornalista Marcos Thomé – Região News -15.09.2020)

Síntese da trajetória de Bet

Natural de Antonio Prado, no Rio Grande do Sul, Romeo Bet migrou ainda jovem, junto com a família, para Planalto Alegre, SC. Após ter exercido liderança em diversas associações de seu município e região, em 1981, a convite de Aury Luiz Bodanese (em memória) inicia a caminhada como Conselho de Administração da Cooperalfa. De 1989 a 1992 exerceu a função de Vice-Presidente do Conselho de Administração da Cooperalfa. Na mesma época, é eleito Vice-Presidente do Conselho de Administração da Credialfa, hoje, SicoobMaxiCrédito.

Em 1993 desligou-se do cooperativismo para tornar-se o primeiro prefeito do seu município, Planalto Alegre. Nessa época, também foi Vice-Presidente da Associação dos Municípios do Oeste Catarinense – AMOSC.

No ano de 1996 retornou ao cooperativismo ao ser reeleito para 2º mandato de Vice-Presidente do Conselho de Administração da Credialfa. No ano seguinte, assumiu como 2º Vice-Presidente do Conselho de Administração da Cooperalfa. Em 2005, Bet foi eleito como 1º Vice-Presidente da Cooperalfa. No ano de 2009, foi eleito presidente da Cooperalfa, posição que ocupa até o presente momento. 

Além de estar à frente da maior cooperativa agropecuária de Santa Catarina, Romeo Bet integrou e/ou ainda integra os conselhos de Administração de várias entidades do setor, como o SESCOOP, FECOAGRO, Aurora, Ocesc e Agromilk. 
Em 2009, foi eleito Empresário do Ano de Chapecó-SC. Recebeu ainda diversos títulos de Cidadão Honorífico dos municípios de Planalto Alegre, Chapecó, Xaxim e Nova Itaberaba, todos em Santa Catarina. 

Bet mantém sua propriedade rural em Planalto Alegre, onde produz leite há quase 30 anos, tendo seu filho Evandro à frente dessa atividade. Também é produtor de grãos há mais de 40 anos. Casado com Nelsi Camatti Bet, tem três filhos:  Soleni, Vanderléia (em memória) e Evandro. Tem três netos: Sara Júlia, Lívia e Gabriel.




Fonte: Assessoria de Imprensa Cooperalfa



  • A 1ª Turma Ordinária do CARF, em caso de relatoria do Conselheiro Laércio Cruz Uliana Junior, deu parcial provimento ao recurso Voluntário de uma Cooperativa de saúde para excluir da base de cálculo das contribuições os valores referentes aos repasses a cooperados e os dispêndios com a rede própria.

    A discussão travada no CARF decorre da autuação pela Receita Federal de Cooperativa de saúde em virtude da apuração de falta de recolhimento da Contribuição para o PIS/Pasep, no período de janeiro a dezembro de 2011, e da falta de recolhimento da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social – Cofins, no mesmo período.

    Em sua defesa, a Cooperativa apresentou impugnação, sustentando, dentre outros pontos, que o auto de infração foi “constituído sob a premissa de que as cooperativas de saúde praticam atos não cooperativos quando da celebração de contratos de plano de saúde, o que iria de encontro à Lei 5.764, de 1971, em especial os seus artigos 3º, 4º, 5º, 7º e 79º, que estabelecem que as cooperativas podem adotar qualquer gênero de serviço”, requerendo, ao final, “o cancelamento do auto de infração ou, alternativamente, a exclusão da base de cálculo dos valores referentes a receitas financeiras e patrimoniais, dos valores repassados a cooperados, dos destinados à provisão técnica e das receitas de intercambio, lançadas em duplicidade, bem assim o afastamento da multa de ofício e dos juros sobre ela”.

    Na opinião do Dr. Rodrigo Forcenette, advogado especialista em Direito Cooperativo, da Brasil Salomão e Matthes Advocacia, “trata-se de um importante precedente, na medida em que reconhece que os repasses efetivados por Cooperativas de Trabalho Médico/Operadoras de Planos de Saúde aos seus cooperados, assim como os custos com rede própria, decorrentes dos atendimentos médico-hospitalares efetivados aos seus pacientes (contratantes/usuários), devem ser deduzidos da base de cálculo do PIS/COFINS, com fundamento no art. 3, §9º e 9º-A da Lei 9.718/98.”

    Clique aqui para acessar a íntegra da decisão do CARF.