Média °C
a

MENU
  

NOTÍCIAS

16/09/2020

Unicred SC/PR passa a admitir novos cooperados por meio de aplicativo

A tecnologia é uma aliada importante no cotidiano e, nos últimos meses, tem sido imprescindível para dar agilidade às tarefas e mais proteção às pessoas. A Unicred SC/PR, que conta atualmente com mais de 75 mil cooperados, está atenta a essa transformação e tem se adiantado às demandas digitais, prezando sempre pela praticidade e segurança dos dados. A última novidade apresentada pela cooperativa financeira é a possibilidade de admissão de novos cooperados por meio de solicitação por aplicativo.



O fluxo totalmente digital permite que os interessados entrem em contato com a Unicred e realizem cadastro sem a necessidade de sair de casa. O pedido é realizado no aplicativo Unicred Mobile disponível para Android e iOS e leva menos de cinco minutos para ser finalizado. Na plataforma o interessado deve preencher os dados pessoais, profissionais e de endereço, além de fornecer uma selfie do usuário e foto do documento. Em seguida realiza o agendamento de capital e o cadastro de senhas. Esses dados serão analisados pela cooperativa e, em caso de aprovação, encaminhados para assinatura digital e pagamento da cota capital. O procedimento desde o primeiro contato até o retorno para o candidato a cooperado leva em torno de 48 horas. A intenção com essa novidade é trazer maior conveniência ao novo cooperado, simplificando e desburocratizando o processo de associação e abertura de conta.   



Unidos Somos Premium



O Sistema Unicred contabiliza R$ 14,3 bilhões em ativos totais com 278 agências em todo o País. A central Unicred SC/PR alcançou no primeiro semestre desse ano 76.387 cooperados com a missão de oferecer soluções financeiras competitivas e de qualidade, agregando resultados e fortalecendo relacionamentos.




Fonte: Assessoria de Imprensa Unicred SC/PR



  • A 1ª Turma Ordinária do CARF, em caso de relatoria do Conselheiro Laércio Cruz Uliana Junior, deu parcial provimento ao recurso Voluntário de uma Cooperativa de saúde para excluir da base de cálculo das contribuições os valores referentes aos repasses a cooperados e os dispêndios com a rede própria.

    A discussão travada no CARF decorre da autuação pela Receita Federal de Cooperativa de saúde em virtude da apuração de falta de recolhimento da Contribuição para o PIS/Pasep, no período de janeiro a dezembro de 2011, e da falta de recolhimento da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social – Cofins, no mesmo período.

    Em sua defesa, a Cooperativa apresentou impugnação, sustentando, dentre outros pontos, que o auto de infração foi “constituído sob a premissa de que as cooperativas de saúde praticam atos não cooperativos quando da celebração de contratos de plano de saúde, o que iria de encontro à Lei 5.764, de 1971, em especial os seus artigos 3º, 4º, 5º, 7º e 79º, que estabelecem que as cooperativas podem adotar qualquer gênero de serviço”, requerendo, ao final, “o cancelamento do auto de infração ou, alternativamente, a exclusão da base de cálculo dos valores referentes a receitas financeiras e patrimoniais, dos valores repassados a cooperados, dos destinados à provisão técnica e das receitas de intercambio, lançadas em duplicidade, bem assim o afastamento da multa de ofício e dos juros sobre ela”.

    Na opinião do Dr. Rodrigo Forcenette, advogado especialista em Direito Cooperativo, da Brasil Salomão e Matthes Advocacia, “trata-se de um importante precedente, na medida em que reconhece que os repasses efetivados por Cooperativas de Trabalho Médico/Operadoras de Planos de Saúde aos seus cooperados, assim como os custos com rede própria, decorrentes dos atendimentos médico-hospitalares efetivados aos seus pacientes (contratantes/usuários), devem ser deduzidos da base de cálculo do PIS/COFINS, com fundamento no art. 3, §9º e 9º-A da Lei 9.718/98.”

    Clique aqui para acessar a íntegra da decisão do CARF.