Média °C
a

MENU
  

NOTÍCIAS

03/07/2020

Sicoob Central SC/RS promove encontros de formação pessoal e profissional com jovens

A Unidade de Gestão Estratégica de Pessoas iniciou um acompanhamento com os jovens do Sicoob Central SC/RS durante a pandemia. Os encontros, quinzenais, sempre numa quarta-feira, começam às 16 horas, têm duração de 1h30 e serão realizados de forma cíclica. O objetivo é orientar os jovens na formação e iniciação da carreira, aproximá-los e posicioná-los quanto à necessidade de entenderem um pouco mais sobre o negócio em que atuam.



Já foram realizados quatro encontros. No primeiro, dia 14 de maio, foi o momento de todos se conhecerem um pouco mais.



No segundo encontro, dia 21 de maio, o foco foi esclarecer sobre o DNA Sicoob, para que internalizem a filosofia cooperativista e conheçam um pouco mais do negócio.



Dia 10 de junho, no terceiro encontro, foram sugeridas dicas para orientá-los nas reuniões on-line. Também foi realizado um jogo utilizando a plataforma free Kahoot para testar os conhecimentos sobre o Sicoob. O vencedor foi premiado com um lanche em uma empresa de fast-food.



No quarto encontro, no dia 24 de junho, o supervisor do Instituto Sicoob SC/RS, Juliano Fernandes, apresentou dados e informações sobre educação financeira. Também sugeriu a leitura de alguns livros, compartilhados com os jovens.



Ao final de cada encontro o setor de Gestão de Pessoas enviou um resumo do que foi realizado e a foto dos participantes para os gestores responsáveis, com o objetivo de solicitar incentivo à participação de cada setor.



“Cada encontro é um momento de aprendizado e uma oportunidade de plantarmos algumas reflexões para o desenvolvimento profissional”, disse a diretora Administrativa do Sicoob Central SC/RS, Elisete Cavalieri.



Segundo a supervisora de Gestão Estratégica de Pessoas, Silene dos Santos Rosa, “todo planejamento e execução das atividades, mesmo de forma lúdica, é no sentido de oferecer melhor preparo pessoal e profissional aos jovens, para que saibam trilhar caminhos mais seguros e promissores no mercado de trabalho”.




Fonte: Sicoob Central SC/RS – Assessoria de Imprensa



  • A 1ª Turma Ordinária do CARF, em caso de relatoria do Conselheiro Laércio Cruz Uliana Junior, deu parcial provimento ao recurso Voluntário de uma Cooperativa de saúde para excluir da base de cálculo das contribuições os valores referentes aos repasses a cooperados e os dispêndios com a rede própria.

    A discussão travada no CARF decorre da autuação pela Receita Federal de Cooperativa de saúde em virtude da apuração de falta de recolhimento da Contribuição para o PIS/Pasep, no período de janeiro a dezembro de 2011, e da falta de recolhimento da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social – Cofins, no mesmo período.

    Em sua defesa, a Cooperativa apresentou impugnação, sustentando, dentre outros pontos, que o auto de infração foi “constituído sob a premissa de que as cooperativas de saúde praticam atos não cooperativos quando da celebração de contratos de plano de saúde, o que iria de encontro à Lei 5.764, de 1971, em especial os seus artigos 3º, 4º, 5º, 7º e 79º, que estabelecem que as cooperativas podem adotar qualquer gênero de serviço”, requerendo, ao final, “o cancelamento do auto de infração ou, alternativamente, a exclusão da base de cálculo dos valores referentes a receitas financeiras e patrimoniais, dos valores repassados a cooperados, dos destinados à provisão técnica e das receitas de intercambio, lançadas em duplicidade, bem assim o afastamento da multa de ofício e dos juros sobre ela”.

    Na opinião do Dr. Rodrigo Forcenette, advogado especialista em Direito Cooperativo, da Brasil Salomão e Matthes Advocacia, “trata-se de um importante precedente, na medida em que reconhece que os repasses efetivados por Cooperativas de Trabalho Médico/Operadoras de Planos de Saúde aos seus cooperados, assim como os custos com rede própria, decorrentes dos atendimentos médico-hospitalares efetivados aos seus pacientes (contratantes/usuários), devem ser deduzidos da base de cálculo do PIS/COFINS, com fundamento no art. 3, §9º e 9º-A da Lei 9.718/98.”

    Clique aqui para acessar a íntegra da decisão do CARF.