Média °C
a

MENU
  

NOTÍCIAS

26/06/2020

A Turminha do Sulca entra para o mundo dos podcasts

Os podcasts, uma nova versão de mídia radiofônica disponibilizada na internet, vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil. O foco deste novo meio de comunicação é a voz, levando um universo de descobertas aos ouvintes mais exigentes. De notícias a debates com temas sociais, veículos de imprensa e influencers tem aderido a esta nova modalidade de informação. E quem também está entrando nesta nova onda é a Turminha do Sulca, projeto educacional do Sicoob Credisulca que lançou o seu próprio podcast.



Chamado de Finanças com o Sulca, segundo o professor Giancarlo Carlomagno, a ideia é levar o ensino da educação financeira para as plataformas digitais. “A Turminha do Sulca hoje é um projeto multiplataforma, com aulas presenciais nas escolas da região e com geração de conteúdo para a internet. Este novo meio que estamos trabalhando é uma forma de atingir também esse amplo público, que busca por conteúdo em formato de áudio”, explicou.



O podcast da Turminha conta a cada semana com convidados especiais, que juntos, abordam temas como a Inteligência financeira. O conteúdo é preparado de forma leve e descontraída em um bate papo informal, levando dicas para crianças e adolescentes sobre o mundo das finanças.



A Consultora Organizacional, Eveline Marcon Francisco Dagostin, destaca que os podcasts da Turminha estão se diferenciando pelo dinamismo. “Os podcasts trazem uma nova forma de agregar conteúdo de qualidade, mostrando a educação financeira de forma leve, por meio de jogos e interações que prendem a atenção do ouvinte”, detalhou.



Podcasts ganham a preferência do público



Feito para todos os gostos, os podcasts vem ganhando cada vez mais a preferência de parte do público, que busca conteúdo diferenciado na internet. Nas plataformas digitais, podcasts relacionados a humor, política e assuntos de cunho social trazem conteúdo relevante de forma simples e objetiva, preferido justamente por ser ideal para se ouvir enquanto faz outras tarefas, como lavar a louça, limpar a casa ou enquanto trabalha.



Entre os podcasts mais famosos, apontados pela Revista Sicoob nº 40, nomes como Primocast, Café da Manhã, Nerdcast e Pretinho Básico ganham ainda mais notoriedade pela disponibilidade gratuita nas principais plataformas de streaming.



Ouça e compartilhe



O podcast Finanças com o Sulca já possui vários episódios que podem ser reproduzidos pelo Spotify, Deezer, Castbox, Listen to Notes e Apple Music. A Turminha do Sulca também possui canal no Youtube e perfil no Instagram (@aturminhadosulca).




Fonte: Assessoria de Imprensa Sicoob Credisulca



  • A 1ª Turma Ordinária do CARF, em caso de relatoria do Conselheiro Laércio Cruz Uliana Junior, deu parcial provimento ao recurso Voluntário de uma Cooperativa de saúde para excluir da base de cálculo das contribuições os valores referentes aos repasses a cooperados e os dispêndios com a rede própria.

    A discussão travada no CARF decorre da autuação pela Receita Federal de Cooperativa de saúde em virtude da apuração de falta de recolhimento da Contribuição para o PIS/Pasep, no período de janeiro a dezembro de 2011, e da falta de recolhimento da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social – Cofins, no mesmo período.

    Em sua defesa, a Cooperativa apresentou impugnação, sustentando, dentre outros pontos, que o auto de infração foi “constituído sob a premissa de que as cooperativas de saúde praticam atos não cooperativos quando da celebração de contratos de plano de saúde, o que iria de encontro à Lei 5.764, de 1971, em especial os seus artigos 3º, 4º, 5º, 7º e 79º, que estabelecem que as cooperativas podem adotar qualquer gênero de serviço”, requerendo, ao final, “o cancelamento do auto de infração ou, alternativamente, a exclusão da base de cálculo dos valores referentes a receitas financeiras e patrimoniais, dos valores repassados a cooperados, dos destinados à provisão técnica e das receitas de intercambio, lançadas em duplicidade, bem assim o afastamento da multa de ofício e dos juros sobre ela”.

    Na opinião do Dr. Rodrigo Forcenette, advogado especialista em Direito Cooperativo, da Brasil Salomão e Matthes Advocacia, “trata-se de um importante precedente, na medida em que reconhece que os repasses efetivados por Cooperativas de Trabalho Médico/Operadoras de Planos de Saúde aos seus cooperados, assim como os custos com rede própria, decorrentes dos atendimentos médico-hospitalares efetivados aos seus pacientes (contratantes/usuários), devem ser deduzidos da base de cálculo do PIS/COFINS, com fundamento no art. 3, §9º e 9º-A da Lei 9.718/98.”

    Clique aqui para acessar a íntegra da decisão do CARF.