Média °C
a

MENU
  

NOTÍCIAS

14/01/2020

Copercampos promove Fórum no Show Tecnológico 2020

A Copercampos promove durante o 25º Show Tecnológico Copercampos, o 1º Fórum Tecnológico, uma oportunidade para debater e apresentar informações sobre temas relevantes e atuais para produção de grãos.



O objetivo da Copercampos é de tornar o fórum, uma referência estadual na apresentação de tendências do agronegócio. Neste primeiro evento, serão debatidos assuntos ligados a biotecnologia na produção de grãos e inovações do setor para incrementar a produção de soja.



Com tema “Biotecnologias”, os novos caminhos para a cultura da soja e as oportunidades e desafios no manejo de plantas daninhas serão apresentadas em três painéis. “O Futuro do manejo de plantas daninhas no Brasil com novas tecnologias transgênicas: Benefícios e desafios” com o Dr. Pedro Jacob Christoffoleti, Professor da USP/ESALQ; “Boas práticas na tecnologia de aplicação de herbicidas hormonais” com o Dr. Ulisses Rocha Antuniassi, professor da faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp e sobre “Limpeza de pulverizadores após aplicação de herbicidas hormonais” com o Dr. Walter Boller, professor da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Passo Fundo/RS.



No fórum, a Corteva apresentará informações sobre a plataforma Enlist/Conkesta e a Bayer apresentará a plataforma Intacta2Xtend.



No debate, profissionais do agro e de instituições governamentais apresentam um panorama sobre o que muda no campo com a adoção das novas tecnologias.



De acordo com o Coordenador do evento, Eng. Agrônomo Fabrício Jardim Hennigen, o objetivo é debater assuntos pertinentes na agropecuária. “Neste ano estaremos debatendo a biotecnologia na produção de soja, desde as novidades em sementes, assim como manejo de pragas e doenças, tecnologia de aplicação e limpeza de pulverizadores. Nosso objetivo é debater e repassar aos visitantes, as novidades que estão chegando no mercado nos próximos anos e tornar o Fórum Tecnológico, mais um atrativo especial na difusão de conhecimentos ao produtor rural”, ressalta Fabrício




Fonte: Assessoria de Imprensa Copercampos



  • A 1ª Turma Ordinária do CARF, em caso de relatoria do Conselheiro Laércio Cruz Uliana Junior, deu parcial provimento ao recurso Voluntário de uma Cooperativa de saúde para excluir da base de cálculo das contribuições os valores referentes aos repasses a cooperados e os dispêndios com a rede própria.

    A discussão travada no CARF decorre da autuação pela Receita Federal de Cooperativa de saúde em virtude da apuração de falta de recolhimento da Contribuição para o PIS/Pasep, no período de janeiro a dezembro de 2011, e da falta de recolhimento da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social – Cofins, no mesmo período.

    Em sua defesa, a Cooperativa apresentou impugnação, sustentando, dentre outros pontos, que o auto de infração foi “constituído sob a premissa de que as cooperativas de saúde praticam atos não cooperativos quando da celebração de contratos de plano de saúde, o que iria de encontro à Lei 5.764, de 1971, em especial os seus artigos 3º, 4º, 5º, 7º e 79º, que estabelecem que as cooperativas podem adotar qualquer gênero de serviço”, requerendo, ao final, “o cancelamento do auto de infração ou, alternativamente, a exclusão da base de cálculo dos valores referentes a receitas financeiras e patrimoniais, dos valores repassados a cooperados, dos destinados à provisão técnica e das receitas de intercambio, lançadas em duplicidade, bem assim o afastamento da multa de ofício e dos juros sobre ela”.

    Na opinião do Dr. Rodrigo Forcenette, advogado especialista em Direito Cooperativo, da Brasil Salomão e Matthes Advocacia, “trata-se de um importante precedente, na medida em que reconhece que os repasses efetivados por Cooperativas de Trabalho Médico/Operadoras de Planos de Saúde aos seus cooperados, assim como os custos com rede própria, decorrentes dos atendimentos médico-hospitalares efetivados aos seus pacientes (contratantes/usuários), devem ser deduzidos da base de cálculo do PIS/COFINS, com fundamento no art. 3, §9º e 9º-A da Lei 9.718/98.”

    Clique aqui para acessar a íntegra da decisão do CARF.