Temas em Foco

Saberes, reflexões e práticas: a construção do trabalho cooperativo

Para o Programa Cooperjovem em Santa Catarina, 2019 será um ano de investimento em fatores de melhoria, de consideração dos resultados da avaliação cooperativa para contribuir para a qualificação do processo educacional articulado com valores essenciais à contemporaneidade. Ao analisar criticamente o desempenho das escolas parceiras, quantitativa e qualitativamente, a ênfase das formações básica e continuada, estará colocada no trabalho coletivo e em valores cooperativistas, de modo a criar ainda mais oportunidades de inovação da prática educativa. 

Em razão disso, publicamos o texto A melhor forma de dar feedback à equipe, adaptado de Laís Semis, na categoria gestores e equipe pedagógica. Conforme a autora, (...) Além da formação continuada durante os horários de trabalho pedagógico coletivo (HTPC), o feedback (a famosa devolutiva) é um recurso que ajuda a desenvolver as competências e habilidades desejadas ao evidenciar caminhos potenciais de melhoria. Da mesma forma que é necessário fazer intervenções em sala de aula para guiar a aprendizagem de um aluno de acordo com seus conhecimentos prévios e competências em construção, é importante avaliar quando as intervenções pontuais também são necessárias entre a equipe de funcionários.

Cooperação na prática: pra começo de conversa, texto sugerido aos professores, retoma questões próprias do Cooperjovem, um programa complementar à que se fundamenta na prática da cooperação como exercício da corresponsabilidade para o aprimoramento das relações humanas. Reforça a difusão de ideias, valores e princípios do cooperativismo, mas prioritariamente a vivência permanente da cooperação em todas as instâncias da vida humana desde a infância. É indicado a todas as escolas, mas principalmente aos professores daquelas que aderiram ao Programa neste ano.

Como sugestão de leitura, trazemos o texto Coordenador pedagógico deve auxiliar professor a melhorar aprendizagem dos alunos, considerando que a atuação desse profissional é o meio mais eficaz de direcionar, organizar e dar unidade ao trabalho de formação continuada do corpo docente, partindo sempre das questões concretas de sala de aula e do contexto em que estão inseridas. A ideia é partir da prática para pensar a teoria (ação-reflexão-ação). Em vez de assistir a uma palestra sobre um teórico ou um tema didático e, em algum momento, relacionar o conteúdo com o que se vive em sala de aula, é o trabalho vivido que se sobrepõe.

Ainda hoje nos perguntamos por que o aluno não aprende. Quando, na verdade, deveríamos nos perguntar quais são as condições necessárias à aprendizagem? Todos têm acesso às condições necessárias à aprendizagem? Como o aluno aprende? O que se avalia realmente na escola? O que queremos saber quando avaliamos? Para pensar sobre isso, trazemos a sugestão de vídeo Criatividade e inteligência, fragmento de um debate com Viviane Mosé, promovido pelo Escolas Transformadoras, que contou com a mediação de Diane Pereira Sousa.

A dica da quinzena é sobre a Base Nacional Comum de Formação Docente, que afirma não bastar ter acesso à informação, mas que é preciso filtrar, selecionar e expandir conhecimentos. Trata das competências gerais para que a nova geração possa viver num mundo mais equânime, mais justo e solidário e apresenta princípios relacionados à competência 9 (Exercitar a empatia, o diálogo, a resolução de conflitos e a cooperação, fazendo-se respeitar e promovendo o respeito ao outro e aos direitos humanos, com acolhimento e valorização da diversidade de indivíduos e de grupos sociais, seus saberes, identidades, culturas e potencialidades, sem preconceitos de qualquer natureza, para promover ambiente colaborativo nos espaços de aprendizagem). Vale à pena conferir!

Por fim, com o intuito de valorizar e compartilhar a produção de professores durante os eventos de formação continuada do Cooperjovem, publicamos como sugestão de atividade Cuidar da escola: responsabilidade de todos, trabalho realizado durante o GEP da região Vale do Itajaí pelo professor Cleverson H. A. Miranda, formado em Letras (Inglês/Português), que ensina do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio na EEB Elizabeth Konder Reis, em Itajaí, escola parceira do Programa Cooperjovem/Sescoop-SC e da cooperativa Viacredi. Leitura imperdível.

Boa leitura e até a próxima quinzena.

Equipe Cooperjovem SC

Envie para

Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.