Sugestão de Leitura

Protagonismo juvenil e rádio escolar – uma prática coletiva

Na realidade brasileira o rádio não é uma mídia ultrapassada como alguns podem imaginar, pelo contrário, é a mídia mais utilizada e abrange todas as classes sociais. O desenvolvimento tecnológico tem causado profundas modificações culturais que podem trazer melhorias sociais, sobretudo quando se ampliarem as oportunidades de apreensão do saber por meio das variadas mídias existentes, dentre elas o rádio.

No campo educacional, as novas tecnologias potencializam as mais remotas, integrando-se a elas e proporcionando uma democratização da produção e recepção do conhecimento e das informações.

O aumento da interatividade dos meios de comunicação exige o desenvolvimento de habilidades específicas pelos seus usuários, sobretudo no contexto educacional. Dessa forma, a implementação de uma rádio escolar tem como princípio uma educação para, sobre e na mídia.

Para isso é preciso haver a gestão coletiva e democrática dos recursos, da programação e do saber-fazer, para que a rádio escolar represente a totalidade dos envolvidos na escola e contribua para o pleno exercício da cidadania.

Para criar uma rádio escola um dos primeiros passos, além de decidir o nome da rádio, é construir um projeto que esteja vinculado ao projeto pedagógico da escola e outros programas em desenvolvimento, como o Cooperjovem e seus projetos educacionais cooperativos.

O projeto deve contemplar os objetivos da rádio, a divisão de responsabilidades e que tipo de programação será veiculada. Para definir o formato da programação é preciso decidir se os programas serão noticiários, musicais, humorísticos, educativos, e distribuí-los ao longo do tempo que a rádio estará no ar.

Em um programa que trate de variedades com duração de 20 minutos, por exemplo, podem ser destinados cinco minutos para as notícias, cinco para músicas e um para o intervalo comercial. E então, na segunda parte do programa, pode haver uma entrevista de três minutos, dois minutos para prestação de serviços (avisos, recados, divulgação de eventos, achados e perdidos etc.) e mais quatro minutos de música.

Para se montar uma rádio na escola são necessários alguns equipamentos para organizar uma estrutura que possibilite ter uma radioescola eficiente. Entretanto, há evolução constante e simplificação desses equipamentos, por isso é importante que os jovens assumam todo o processo, decidam coletivamente os rumos da rádio e executem todas as etapas do processo. Uma boa pesquisa, visita a rádios locais, entrevista com técnicos e jovens que participem de rádios comunitárias são etapas importantes para descobrir os equipamentos e outros recursos indispensáveis.

Adaptado de https://www.infoescola.com/comunicacao/radio-escolar/

Envie para

Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *