Leitura para Professores

O que é preciso saber para incentivar o protagonismo juvenil?

O termo protagonismo juvenil há muito tempo vem sendo utilizado na educação. A ideia de definir um protagonista no processo educativo foi criada por Antonio Carlos Gomes da Costa, educador mineiro que desenvolveu essa nova prática educativa com jovens.

Mas como seria exatamente desenvolver o protagonismo juvenil dentro da escola?

Para deixar claro, segundo Antonio Carlos, neste processo, o jovem se torna o elemento central da prática educativa, participando ativamente de todo o procedimento, desde a elaboração, a execução até a avaliação das ações propostas. A ideia principal é fazer com que o jovem tenha uma legítima participação social, contribuindo não somente à escola, como também com a comunidade em que está inserido.

Assim, o protagonismo juvenil forma pessoas mais autônomas e comprometidas socialmente, capazes de se solidarizar com o próximo. O protagonismo juvenil colabora para a formação de um futuro mais justo aos jovens.

Como fazer?

Para que tudo isso aconteça, é preciso que os educadores não se restrinjam apenas às disciplinas convencionais da escola e estejam abertos às novas possibilidades. Para desenvolver um projeto de protagonismo juvenil é importante estabelecer um novo tipo de relacionamento entre jovens e adultos, em que o adulto deixa de ser um transmissor de conhecimento para ser um colaborador e um parceiro do jovem na descoberta de novos conhecimentos e na ação comunitária. O que acontece hoje na escola é inverso, sendo o adulto sempre o detentor do conhecimento.

O aluno deve ser visto como fonte de iniciativa, fonte de liberdade e de compromisso. Por isso, o mais importante em um projeto de protagonismo juvenil é estimular que os jovens tomem a frente dos processos e, ao mesmo tempo, vivenciem possibilidades de escolha e de responsabilidades.

O papel do educador

Para criar um projeto neste sentido, algumas etapas são importantes. Etapa de iniciativa da ação proposta, planejamento da ação, execução, avaliação e apropriação dos resultados. O educador, assim, toma a frente ao propor discussões e debates a respeito de alguma questão da escola e da comunidade. Além disso, direciona os alunos a chegarem a uma solução. Mas o papel do educador não é o de propor soluções, e sim de fazer em conjunto, pensar formas de atuação e como podem atingir bons resultados com o projeto educativo.

O aluno no protagonismo juvenil

Os alunos que participam das ações acabam desenvolvendo um papel importante de liderança, mobilizando outros alunos a reconhecerem os problemas enfrentados e as soluções de melhoria. Vale destacar também que o protagonismo juvenil é um processo que pretende facilitar a inserção dos jovens no mundo adulto por meio do exercício de participação social dentro dos espaços em que eles pertencem.

Por tudo isso, o protagonismo juvenil pode ser a solução de muitas questões dentro da escola. Problemas como a evasão escolar podem ser solucionados com a participação dos jovens nas decisões. Assim, o aluno se sente pertencente àquele meio e pode cuidar melhor do ambiente e de sua atividade escolar.

http:// impulsiona. org.br /tudo-o-que-voce-precisa-saber-sobre-protagonismo-juvenil/

Envie para

Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *