Temas em Foco

A empatia na educação

Formação de professores do Programa Cooperjovem 2018/Torres/Turma 1

 

A empatia na educação de crianças e jovens transformadores é a sugestão de vídeo que abre esta quinzena do blog. A empatia pode ser aprendida e cultivada. Pode ser construída em processos coletivos que dão ao outro o lugar de ser especial e merecedor de escuta a partir de elementos culturais. Assisti-lo pode ser a porta de entrada para a continuidade das leituras de forma mais eficaz. Comece por ele...

 Por que a empatia é uma das lições mais importantes da vida é o texto sugerido aos gestores e equipe pedagógica. Conforme os autores, as crianças têm a oportunidade de aprender empatia com seus pais, mas também com seus professores e colegas. A empatia não é encontrada em muitos currículos escolares oficiais, mas pode ser uma das qualidades mais importantes a ser desenvolvida em jovens cidadãos que se tornarão atores de um mundo complexo. O vídeo que acompanha o texto, com legenda disponível em português, resume o conceito, sua relevância e como a empatia se diferencia da simpatia. Vale a pena assistir!!

Para a leitura especial dos professores publicamos o texto Como desenvolver empatia na sala de aula? Esta reflexão é importante porque remete à forma como cada profissional da educação vai conduzir o processo de aprendizagem baseado na empatia, já que ela permite que cada pessoa se coloque no lugar de outra e se dedique a entender seus pensamentos e emoções. É uma habilidade fundamental em todas as esferas da vida, embora seja particularmente relevante no contexto da sala de aula. Na verdade, um professor realmente empático saberá colocar-se no lugar de seus alunos, ele saberá o que os motiva, porque eles se comportam de certa maneira e ele vai entender quando é tempo de desacelerar. Há estratégias interessantes para desenvolver a empatia em sala de aula e elas são efetivas se utilizadas cotidianamente. Confira!!

Empatia e solidariedade é uma sugestão de atividade desenvolvida com crianças e jovens organizada pelo Instituto Alana e pela Ashoka. Entre outras ideias afirma que o termo “empatia” é usado em educação como a capacidade de educandos e educadores se identificarem com o outro, sabendo se colocar no lugar do outro do ponto de vista tanto cognitivo como afetivo. Renato Janine Ribeiro, na roda de conversa sobre empatia, diz que o termo “empatia” significa “sentir e sofrer no lugar do outro; pathos é a palavra grega que significa paixão, relacionada ao sofrimento”.

A dica Empatia na educação trata de uma conversa cujo objetivo é construir, coletivamente, um entendimento sobre a importância da empatia, como um valor e como uma competência que pode ser ensinada e cultivada na escola. Acredita-se que tal habilidade tem profunda relação com a busca por formar crianças e jovens transformadores, capazes de resolver os problemas sociais de nosso tempo, isso porque a postura empática pressupõe abertura para acolher a diversidade e agir em prol do bem comum, uma expectativa do Cooperjovem que embala as ações formativas e a elaboração de projetos educacionais cooperativos.

Uma boa notícia veio da Escola Esperança, parceira da Creditapiranga que desenvolve o Programa Cooperjovem na região Oeste de Santa Catarina. A ação Ler e escrever para transformar! foi realizada na manhã de 08 de Maio último e fez parte da segunda edição da atividade Leitura na Praça, em Itapiranga. A iniciativa faz parte de um projeto educacional cooperativo, que tem como objetivo desenvolver competências e habilidades leitoras e escritoras por meio de programações que envolvem toda a escola e todas as disciplinas curriculares. Alunos e comunidade lotaram a Praça dos Pioneiros.

Boa leitura e até a próxima quinzena

Equipe Cooperjovem SC

Envie para

Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *