Temas em Foco

A escola, o ensino e a aprendizagem

 

Dando continuidade ao que nos propusemos na semana de 12 a 18/11, seguimos refletindo sobre a educação cooperativa como alternativa que, antes de tudo, coloca os professores na condição de autores da sua prática. Para isso, a formação continuada e a decisão de refletirem constantemente sobre que aprendizagens são indispensáveis para o desenvolvimento das competências, pois como já se viu anteriormente, a forma como se organiza o processo ensino-aprendizagem influencia na forma como os alunos respondem às propostas apresentadas a eles.  Planejar, para a educação cooperativa, significa pensar o ensino articulado com o contexto em que se realiza, o que demanda investigar: quem são os alunos? O que sabem? Quais são suas preferências? Quais são seus sonhos? Que histórias de vida estão a facilitar ou a dificultar suas trajetórias escolares?

Organização dos processos de aprendizagem é o texto que trata do elevado número de jovens na faixa etária de 15 a 17 anos e que permanecem no ensino fundamental, cujas histórias irregulares os distanciam das metas estabelecidas para essa modalidade, com o intuito de trazer para debate a adequação das oportunidades às necessidades e aos interesses desses alunos. Essa problemática tão complexa que hoje afeta o cotidiano da grande maioria das escolas brasileiras também nos cobra repensar o que significa aprender, como a aprendizagem ocorre, que elementos, afinal, estão envolvidos nesse processo e o que nós profissionais da educação podemos aprender com as experiências que esses jovens realizam em variados âmbitos, nos quais eles aprendem, produzem saberes, se apropriam de conhecimentos e modelos para agir e estar no mundo. O texto traz algumas indicações para a organização de aprendizagens em projetos voltados para jovens e alerta para a demanda de que se fortaleça e subsidie o coletivo da escola a fim de se estabelecerem compromissos com a criação e implantação de propostas e projetos inovadores.

O texto História em quadrinhos: um recurso de aprendizagem faz a abertura de uma sequência didática elaborada e aplicada por professoras da E.M. ADOLFO WIGGERS de Braço do Norte/SC, parceira da cooperativa Cerbranorte, que teve como objetivo o aprimoramento da leitura, escrita e interpretação de alunos do 1º ano do ensino fundamental por meio de histórias em quadrinho. Nas escolas, os quadrinhos integram os livros didáticos e fazem parte do acervo das salas de leitura. Projetos pedagógicos elegem os quadrinhos como gênero textual a ser desenvolvido nas classes.

A sugestão de vídeo, Quando as cores somem, é uma interessante animação brasileira de 2009 dirigida por Luciano Lagares de Sousa que apresenta Laila, uma menina que percebe que as cores de suas pinturas se modificam quando ficam no escuro. O problema é resolvido com uma simples explicação feita por um cego que sugere a menina que use a imaginação. Recebeu o prêmio de Melhor Curta de Animação – Júri Popular na Mostra Audiovisual de Cambuquira 2010.

A dica pedagógica, A importância do plano de estudos para a aprendizagem, enfatiza que as aprendizagens referem-se tanto a conhecimentos quanto a procedimentos e a interações ou princípios de convivência (atitudes que expressam os valores que a comunidade escolar considera fundamentais). Ressalta ainda que as competências estabelecidas devam ser objeto do trabalho de todos os professores e adverte que no caso do Programa Cooperjovem elas fazem parte do conjunto de objetivos traçados, daí decorrendo a importância do planejamento e da elaboração de atividades que conduzam a este fim.

Em atividade realizada, postamos uma produção elaborada por professoras de escolas parceiras das cooperativas COOPERSULCA, COOPERJA e CEPRAG, durante a 2ª etapa do curso Pedagogia da Cooperação, realizado em Torres/RS. A atividade, Educação e Cidadania, tem como objetivo que os alunos do 8º ano do ensino fundamental possam distinguir direitos e deveres tanto no ambiente escolar quanto no seu convívio social e familiar, aprendendo a agir e a dialogar com o outro nas mais diferentes situações, comprometendo-se a dar opiniões, a participar de decisões e a reivindicar direitos.

A sugestão de leitura pode ser acessada em http://revistaeducacao.uol.com.br/ onde estão disponíveis as edições anteriores e a atual da Revista Educação, uma publicação mensal da Editora Segmento, especializada em formação docente, gestão escolar, ensino infantil e fundamental, destinada a mantenedores, educadores e interessados em educação.

A notícia, Ponte para a educação, divulgada na Revista Educação (Novembro/2012 Currículo | Edição 187), conta sobre o caso de escolas que eliminaram a divisão por séries e estimulam a autonomia dos alunos, inspiradas em um modelo português. Na cidade de São Paulo, duas escolas da rede municipal de ensino adotaram a proposta e vêm colhendo bons resultados.

Boa leitura e até a próxima semana.

Equipe Cooperjovem

 

Envie para

Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.