Destaques

Organização dos processos de

Claudia Lemos Vóvio

Concretizar o processo de aprendizagem e promover o desenvolvimento humano são as principais atribuições da educação escolar. Mas, o elevado número de jovens na faixa etária de 15 a 17 anos e que permanecem no ensino fundamental, com histórias irregulares e que não atingem as metas estabelecidas para essa modalidade, nos faz refletir sobre a adequação das oportunidades às necessidades e aos interesses desses sujeitos. Essa problemática tão complexa que hoje afeta o cotidiano da grande maioria das escolas brasileiras também nos cobra repensar o que significa aprender, como a aprendizagem ocorre, que elementos, afinal, estão envolvidos nesse processo e o que nós profissionais da educação podemos aprender com as experiências que esses jovens realizam em variados âmbitos, nos quais eles aprendem, produzem saberes, se apropriam de conhecimentos e modelos para agir e estar no mundo.

Para refletir

Façam um levantamento de quantos jovens que estão na escola não se encontram plenamente alfabetizados e discutam, coletivamente, que metas e ações são necessárias para transformar esta situação, de modo a garantir a todos, crianças e jovens, o acesso a bens da cultura escrita.

A definição de um currículo é sempre um processo de seleção de saberes com os quais a escola se compromete a lidar e a socializar. A escolha diz respeito àquilo que socialmente a instituição escolar responsabiliza-se em divulgar, ensinar e problematizar com as novas gerações. Trata-se de um recorte dos bens culturais social e historicamente produzidos – valores, habilidades, símbolos e significados – que serão transmitidos pela escola.

Vale aqui indagar em que medida essas construções podem ser realizadas de maneira dialogada com a condição juvenil e suas especificidades. Fazer tal provocação não implica desconsiderar que há um currículo público, definido e assumido como compromisso do mundo adulto, mas sim indagar se é possível que esse conjunto de saberes dialogue com os saberes e fazeres típicos das culturas juvenis.

Algumas indicações para organização de aprendizagens em projetos voltados para jovens

Organizar as escolas públicas para que atendam com qualidade os jovens segundo suas necessidades de aprendizagem, interesses e para que possam inserir-se em melhores condições na sociedade é uma tarefa complexa. Demanda, em primeiro lugar, a criação de um consenso entre os sujeitos que conformam o universo escolar em torno do que vem a ser a educação que eles querem e aquela que queremos, de qual é a função social da escola e sobre quais práticas pedagógicas favorecem a formação de sujeitos nesta perspectiva. Demanda, ainda, que se fortaleça e subsidie o coletivo da escola a fim de se estabelecerem compromissos com a criação e implantação de propostas e projetos inovadores.

Um princípio fundamental na organização dos processos de aprendizagem na escola é o de colocar a educação escolar a favor dos sujeitos para os quais ela se dirige e tem como pressuposto a busca de complementaridade entre os processos educativos que ocorrem na escola e aqueles que ocorrem em outros âmbitos. Significa vincular as iniciativas educativas formais, da escola, com as não formais, as desenvolvidas por iniciativa comunitária e levadas a cabo por outros setores institucionalizados, como a saúde e a cultura, por exemplo. Decorre dessa perspectiva o reconhecimento de que, para além de aprendizagens planejadas, outras tantas ocorrem mediante a interação entre pares e com o conhecimento.

A prática educativa compõe-se de uma ação conjunta de professores e estudantes e de toda a comunidade escolar e de uma intervenção pactuada em certos aspectos da realidade de que ambos fazem parte. A aprendizagem, então, constitui-se num processo de intervenção e mudança: uma abordagem coletiva, racional e negociada sobre o que será enfrentado e as formas pelas quais isso será feito.

  • Organizar a progressão da aprendizagem a partir das especificidades dos grupos de jovens (idades, variações socioculturais, características e estilos cognitivos).
  • — Adotar uma perspectiva interdisciplinar e contextualizada na organização das turmas, tempos e atividades, bem como na seleção de conteúdos e priorização de aprendizagens.
  • — Tratar de assuntos e problemas relacionados aos interesses e às necessidades educativas dos jovens e das comunidades em que estão inseridos (a articulação entre conteúdos das diversas áreas do conhecimento e as aprendizagens necessárias para intervenção na sociedade).

Escolhido o tema, o projeto supõe a formulação e resolução de problemas a partir do diagnóstico do que todos sabem sobre isso; prossegue com o desenvolvimento das estratégias de busca de informações, uso da escrita para a leitura e registro de descobertas, acompanhamento, integração e avaliação. O projeto também é uma forma de promover o desenvolvimento e ampliação de capacidades relacionadas com a autonomia para aprender por meio de:

  • —Tarefas de pesquisa realizadas com criatividade, mediante a construção de explicações e levantamento de hipóteses, acerca dos fatos, acontecimentos e situações observadas;
  • — Tomada de decisões, já que a todo instante é preciso decidir sobre o que é relevante e precisa ser pesquisado;
  • — Utilização criativa de recursos, procedimentos e explicações;
  • — Formulação e resolução de problemas, diagnósticos de situações e desenvolvimento;
  • — Comunicação interpessoal, posto que, muitas vezes, é necessário contrastar as próprias opiniões e pontos de vista com outros e ser responsável por eles.

O desenvolvimento dessas capacidades pode levar os alunos a uma melhor compreensão dos problemas da realidade e contribuir para a ampliação do conhecimento pessoal e do entorno. É preciso ser capaz de justificar o porquê do interesse ou necessidade de desenvolver determinado projeto. A justificativa encontra-se tanto na realidade local do grupo que dele toma parte, como nos objetivos e conteúdos que a partir dele podem ser desenvolvidos.

Adaptado de

http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=12624%3Aensino-fundamental& Itemid=859

 

Envie para

Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.